Soja e milho caem com pressão de dados de oferta na América do Sul


© Reuters. Carregamento de soja
17/02/2020
REUTERS/Jorge Adorno

Por Julie Ingwersen

CHICAGO (Reuters) – Os contratos futuros da nos EUA atingiram o menor nível em uma semana nesta sexta-feira e o caiu mais de 1%, devido à melhoria das perspectivas para as colheitas da América do Sul, disseram analistas.

O caiu cerca de 2% devido à realização de lucros e ao esfriamento dos negócios de exportação globais.

O contrato março da soja na CBOT fechou em queda de 13,75 centavos, a 12,0925 dólares por bushel, após cair para 12,085 dólares, o menor valor do contrato desde 18 de janeiro.

Na semana, o março da soja caiu 4 centavos por bushel ou 0,3%, sua sexta queda semanal consecutiva.

O março do milho na CBOT fechou em queda de 5,5 centavos de , a 4,4625 dólares por bushel.

No entanto, durante a semana, o contrato permaneceu pouco alterado, subindo 0,75 centavos por bushel ou 0,17%. O modesto aumento semanal interrompeu um declínio de seis semanas.

O contrato março do trigo na CBOT fechou em queda de 12 centavos a 6,0025 dólares por bushel. No entanto, na semana, o contrato subiu 7 centavos por bushel, ou 1,2%, após cair em cinco das últimas seis semanas.

As perspectivas para grandes safras de soja e milho na Argentina e o otimismo em relação à colheita do Brasil deram o tom. A Bolsa de Grãos de Buenos Aires elevou na quinta-feira sua estimativa da safra de soja da Argentina para 52,5 milhões de toneladas, um aumento de cerca de 1% em relação à previsão anterior, e fixou a safra em 56,5 milhões de toneladas, um aumento de quase 3%.

(Reportagem de Julie Ingwersen; reportagem adicional de Gus Trompiz em Paris e Naveen Thukral em Cingapura)



Add a comment