Gigante militar, Lockheed Martin cortará 1% de seus empregos em tentativa de reduzir custos


© Reuters. O logotipo da Lockheed Martin é visto durante o show aéreo Japan Aerospace 2016 em Tóquio, Japão, em 12 de outubro de 2016. REUTERS/Kim Kyung-Hoon/Foto de arquivo

Por Utkarsh Shetti e Mike Stone

(Reuters) – A Lockheed Martin (NYSE:) cortará 1% de seus empregos ao longo do ano em uma tentativa de diminuir custos e agilizar operações, disse um porta-voz da empresa na sexta-feira.

As reduções afetarão posições em todos os seus negócios e operações empresariais, disse o porta-voz em comunicado à Reuters, acrescentando que as ações de corte de custos vão incluir o congelamento de contratações e demissões voluntárias.

A empresa de defesa com sede em Maryland emprega 122 mil pessoas em todo o mundo, de acordo com seu site. As reduções de custos ajudarão a empresa a transformar digitalmente suas operações.

A Lockheed previu na terça-feira seu lucro em 2024 abaixo das expectativas de Wall Street, citando interrupções na cadeia de suprimentos em seu maior segmento aeronáutico, que fabrica jatos F-35.

As empresas de defesa dos EUA estão registrando um aumento notável nas encomendas num contexto de crescentes tensões entre a China e as Filipinas e os conflitos em curso entre Rússia e Ucrânia e no Oriente Médio.

No entanto, as perturbações relacionadas com a pandemia de Covid-19 nas cadeias de trabalho e de abastecimento ainda estão pesando sobre o setor.

Os cortes ocorrem no momento em que empresas de diversos setores estão implementando demissões para reduzir custos, com companhias de tecnologia no topo da lista.



Add a comment