Conforme o S&P 500 ultrapassa 5.000 pontos, sua valuation também atinge níveis elevados


© Reuters. Operadores na bolsa de Nova York
07/02/2024. REUTERS/Brendan McDermid

Por Lewis Krauskopf

NOVA YORK (Reuters) – À medida que o continua a bater novos marcos, ultrapassando pela primeira vez o nível de 5.000 pontos, sua “valuation” também está atingindo novos patamares.

O índice preço/ganhos futuros do S&P 500 — uma métrica comumente usada para estimar o valor das ações — subiu esta semana para 20,4 vezes, nível atingido pela última vez em fevereiro de 2022, de acordo com o LSEG Datastream. Isso o coloca muito acima da média histórica do índice, que é de 15,7 vezes.

Não é incomum que as valuations subam junto com os preços das ações, e os papéis podem permanecer caros por muito tempo antes de retornarem a níveis mais moderados. Ainda assim, alguns investidores acreditam que o múltiplo crescente do índice tornou a compra no mercado amplo uma proposta menos atraente. O S&P 500 está em alta de 21% desde outubro, marcando novos recordes de alta ao longo do caminho.

O índice ultrapassou brevemente o nível de 5.000 na sessão de quinta-feira, antes de fechar logo abaixo dessa marca.

As valuations das ações subiram mesmo com a recuperação dos rendimentos dos Treasuries neste ano, após uma reavaliação sobre o quão cedo o Federal Reserve dos EUA começará a cortar as taxas de juros

Os rendimentos mais altos tendem a pressionar as valuations das ações, pois significa que os títulos se tornam uma opção de investimento mais competitiva e que os fluxos de caixa futuros das empresas terão uma avaliação mais baixa. Isso significa que as valuations das ações podem aumentar ainda mais se o Fed realizar os cortes amplamente esperados e os rendimentos caírem. O rendimento do Treasury de dez anos estava em torno de 4,16%.

E, embora uma perspectiva de balanços mais otimista ajudaria a tornar as valuations menos caras, as expectativas de lucro para 2024 permaneceram, em grande parte, estáveis nesta temporada de balanços, à medida que as empresas divulgaram os resultados. A expectativa é de que as empresas do S&P 500 aumentem seus lucros em 9,7% este ano, segundo dados da LSEG.

Valuations elevadas precederam períodos de desempenho inferior no passado, de acordo com a pesquisa da Evercore ISI. O S&P 500 ficou estável, em média, durante o ano seguinte, quando foi negociado em sua avaliação atual de 22 vezes o lucro dos últimos doze meses, escreveu Julian Emanuel, diretor administrativo sênior da empresa, em uma nota na quarta-feira, analisando dados que remontam a 1960.

Sem dúvida, a avaliação do S&P 500 é distorcida pelo grande peso das maiores ações do índice. O chamado grupo dos Sete Magníficos papéis de megacapitalização — que inclui a Apple (NASDAQ:), a Microsoft (NASDAQ:) e a Nvidia — têm um peso combinado de 29% no índice e é negociadas em uma média de 34 vezes os lucros, de acordo com dados do LSEG Datastream.

Ao mesmo tempo, houve menos sinais dos excessos especulativos que marcaram os pontos de inflexão do mercado no passado, como a era das pontocom e a grande recuperação pós-pandemia que trouxe ganhos altíssimos nas chamadas ações meme, como a GameStop (NYSE:).

Uma análise da Ned Davis Research mostrou que o S&P 500 está mais de 5% “supervalorizado”, quando ajustado para a tendência da relação preço/balanços do índice desde 1964. Entretanto, o índice está “longe do território de bolha”, disse a empresa.



Add a comment