Anec vê possível queda na exportação de soja do Brasil este mês e cita China


© Reuters. Colheita de soja
30/03/2008
REUTERS/Andres Stapff

Por Roberto Samora

SÃO PAULO (Reuters) – A exportação de do Brasil em fevereiro foi estimada nesta quarta-feira 7,3 milhões de toneladas, redução de 3,3% na comparação com o volume visto no mesmo mês do ano passado, em meio a uma desaceleração de compras da China, de acordo avaliação da Associação Nacional dos Exportadores de Cereais (Anec).

A entidade apontou ainda que os volumes exportados em janeiro foram elevados para o mês. Nesta quarta-feira, a Secretaria de Comércio Exterior (Secex) confirmou que o país exportou o maior volume da história para janeiro, com quase 3 milhões de toneladas.

Os dados da Anec, que consideram embarques efetivos no mês, e não incluem registros de exportação (como no caso da Secex), apontam volumes de 2,3 milhões de toneladas no mês passado, mais que o dobro do mesmo mês do ano anterior.

“Aproximadamente 75% da soja exportada em janeiro teve a China como destino, totalizando um volume de 1,7 milhão de toneladas. (Mas) Vale ressaltar que esse volume embarcado no mês anterior corresponde a vendas realizadas no ano passado”, ressaltou a Anec.

A Anec notou uma “desaceleração” nas compras do país asiático, maior comprador do mundo de soja, neste início de 2024.

“Eventuais diferenças significativas no volume adquirido pela nação asiática serão percebidas nos embarques dos próximos meses”, acrescentou.

Considerando as estimativas, se confirmadas para fevereiro, indicam que o Brasil pode triplicar o volume exportado na comparação com janeiro, quando a oferta da nova safra ainda era pequena.

A colheita de soja está adiantada no país, após a seca e o calor que quebraram parte da safra terem também encurtado o ciclo das lavouras.

“Relatos indicam que essas lavouras precoces enfrentaram mais dificuldades climáticas, resultando em baixas produtividades, ao passo que as lavouras mais tardias, ainda não colhidas, mantêm um bom estado de desenvolvimento e prometem boas produtividades”, disse a associação.

A Anec admitiu a hipótese de os embarques de soja serem maiores do que os previstos, citando que a programação de navios indica mais de 10 milhões de toneladas para o mês.

OUTROS PRODUTOS

Já a exportação de brasileiro foi estimada em 773.940 toneladas em fevereiro, versus 1,94 milhão de toneladas no mesmo mês em 2023.

Em janeiro, antes de os terminais mudarem para soja para aproveitarem a oferta da safra nova, a exportação do cereal somou 3,4 milhões de toneladas.

Do volume exportado de milho em janeiro, a China continuou sendo o principal destino, com 29% do volume total, que corresponde a 1 milhão de toneladas, relatou a Anec.

A exportação de farelo de soja do país deve alcançar 1,75 milhão de toneladas neste mês, ante 1,28 milhão no mesmo mês em 2023, indicando praticamente uma estabilidade versus janeiro, apontou a Anec.

A exportação de brasileiro deve alcançar quase 500 mil toneladas, levemente abaixo do total do mesmo mês em 2023 e das 685 mil toneladas de janeiro, quando atingiram o maior volume em mais de um ano, segundo dados da Anec.

(Por Roberto Samora)



Add a comment